Social:
quinta, 24 julho 2014 09:00

Investigadores da UMinho testam com êxito nova explicação para doenças mentais

Investigadores da Universidade do Minho demonstraram, numa experiência com ratinhos, que a morte dos astrócitos, células do cérebro que comunicam com os neurónios, pode justificar alterações comportamentais típicas de doenças mentais como a depressão ou a esquizofrenia.

«Se afetarmos os astrócitos, os neurónios serão afetados também por consequência», disse à agência Lusa João Oliveira, coordenador da equipa, do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e da Saúde, da Universidade do Minho.

Segundo o investigador, o estudo introduziu «um novo jogador», os astrócitos, para explicar alterações de comportamento que habitualmente ocorrem em doentes mentais, uma vez que era do conhecimento que nestes «há danos» nos neurónios - outras células do sistema nervoso.

Ler 2545 vezes