Social:
quarta, 23 julho 2014 12:28

PCP responsabiliza Governo por “situação absurda” na urgência de neurologia de Aveiro

A deputada do PCP Paula Batista responsabilizou o Governo por a urgência de Neurologia no Hospital de Aveiro só estar a funcionar 12 horas por semana por falta de médicos, considerando que se trata de uma “situação absurda“.

Em conferência de imprensa à porta do hospital, a deputada acusou o Governo de restringir a contratação de médicos e de estar a centralizar cada vez mais serviços nos hospitais de Lisboa, Porto e Coimbra.

Paula Batista alertou que dada a situação daquele serviço do Hospital de Aveiro, os utentes têm de ser transferidos para Coimbra, sendo que, nos casos de doenças e acidentes cardiovasculares, que necessitam de socorro rápido, “uma hora ou hora e meia de demora pode pôr em causa a vida” das pessoas.

“Uma especialidade de neurologia de urgência a funcionar 12 horas por semana é no mínimo absurdo. Os doentes vão ter de ter hora marcada para poder adoecer e vir à urgência, o que não faz sentido nenhum”, criticou.

A deputada do PCP advertiu que, “ao não se repor as equipas médicas necessárias para o funcionamento do serviço, vai haver uma sobrecarga de utentes no Centro Hospitalar da Universidade de Coimbra (CHUC), cujos serviços se deteriorarão também.

“Nada disto abona em favor do Serviço Nacional de Saúde, nem dos serviços de proximidade, nem da qualidade que é pretendida”, disse a deputada.

“Coloquem os recursos humanos suficientes para que os hospitais funcionem. Os equipamentos estão cá e o que se tem feito é encerrar. O encerramento de serviços e de especialidades no distrito de Aveiro tem sido uma calamidade”, comentou.

Três dos quatro médicos que asseguravam a urgência de Neurologia do Hospital de Aveiro decidiram requerer, a 26 de junho, a dispensa desse serviço em razão da idade, interrompendo a escala, entretanto retomada.

O conselho de administração do Centro Hospitalar do Baixo Vouga afirmou à Lusa que a Urgência de Neurologia “está garantida até ao final do mês” e a “Via Verde” de AVC assegurada, tendo marcado para o início de agosto uma reunião com vários diretores hospitalares para serem tomadas “as medidas adequadas”.

Em comunicado, o Sindicato dos Médicos da Zona Centro (SMZC) deu como certo o fim da Urgência de Neurologia no Centro Hospitalar do Baixo Vouga, dado que os médicos estão à beira da reforma, sem estar garantida a sua substituição e considerou que “pode estar em risco o funcionamento da Via Verde de AVC e Trombólise no Centro Hospitalar do Baixo Vouga a muito curto prazo”.

Ler 2977 vezes