Social:
quinta, 17 abril 2014 17:11

Discussão pública de relatório sobre níveis de integração de cuidados de saúde em Portugal

 Relatório do Grupo de Trabalho para integração dos níveis de cuidados saúde para Portugal em discussão pública até 17 maio. Participe.

NOTA do Editor(Mauro Rosa): É crucial enviar os contributos. Quem quiser analisar o relatório em conjunto, envie email para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
P
odem consultar e fazer o download do relatório no Portal da Saúde ou AQUI

 

 

"O Ministério da Saúde coloca em consulta pública, por um período de 30 dias, o Relatório do Grupo de Trabalho (GT), criado pelo Despacho n.º 9567/2013, de 22 de julho, do Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, com o objetivo de proceder à definição de proposta de metodologia de integração dos níveis de cuidados de saúde para Portugal Continental.

Entende-se como integração as formas de interligação e cooperação na prestação e a garantia de continuidade assistencial dos utentes do Serviço Nacional de Saúde, tendo em vista a maximização da eficiência nas respostas e os melhores resultados de saúde.

Pretende-se que o presente relatório não reflita uma visão dos diferentes níveis de cuidados sobre a sua forma de participar em iniciativas de integração, mas que exista uma equidistância face a esses níveis de cuidados de saúde.

A discussão sobre a integração de cuidados de saúde é intemporal. De uma forma genérica, o objetivo principal que está subjacente ao presente trabalho/relatório é contribuir para a discussão de matérias relacionadas com a integração de cuidados de saúde e sua influência ao nível da gestão de organizações de saúde, através de uma definição concetual que todavia se encontra por concretizar no país.

Porquê integrar?

Habitualmente, são reconhecidos no sector da saúde três níveis de prestação de cuidados de saúde que estruturam a oferta, mas cuja designação poderá encontrar diferentes aceções, consoante o objetivo e o contexto em causa:

Por nível de prestação:
Primária, secundária e terciária;

Por tipo de cuidados:
Gerais, especializados e continuados;

Por facilidades:
Centros de saúde
Hospitais e unidades de cuidados continuados;

Por natureza:
Pré-agudos, agudos e pós-agudos;

Por utilização:
Primeira linha e segunda linha.

A amplitude relativamente alargada do objetivo proposto deverá ser balizada nas expectativas sobre a realidade passada, presente e previsível evolução futura do contexto de prestação de cuidados de saúde no "nosso país": o relatório não tem como pretensão abordar todas as temáticas, nem as temáticas abordadas se esgotam no presente relatório.

O documento deve ser encarado como um documento de trabalho, que poderá ser melhorado em função da discussão e debate que porventura possa proporcionar. "As medidas propostas não se esgotam nesta apresentação, pelo que a análise crítica do documento é uma etapa que deverá ser cumprida, devendo este ser melhorado através da introdução de novas iniciativas substitutivas ou alternativas às propostas".

A estrutura do relatório está dividida em seis capítulos. Para além da introdução, pode-se encontrar uma nota metodológica, o enquadramento teórico, a descrição da situação em Portugal, a identificação das medidas propostas e a conclusão.

Os contributos deverão ser enviados, até ao dia 17 de maio de 2014, para o e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. "

http://www.portaldasaude.pt/portal/conteudos/a+saude+em+portugal/politica+da+saude/discussao/dp+integracao+cuidados+saude.htm

 

Ler 2487 vezes