Social:
sexta, 22 novembro 2013 13:24

Estado paga 27 milhões de euros à Misericórdia para gerir Centro de Reabilitação do Norte até 2016

O Centro de Reabilitação do Norte vai mesmo ser gerido pela Santa Casa da Misericórdia do Porto durante três anos, por um valor que pode atingir os 27,6 milhões de euros.

O Conselho de Ministros autorizou esta quinta-feira a despesa estatal inerente à celebração do contrato de gestão do Centro de Reabilitação do Norte, entre a Administração Regional de Saúde do Norte (ARSN) e a Santa Casa da Misericórdia do Porto,pelo período de três anos e um montante máximo de cerca de 27,6 milhões de euros. Pronto para abrir desde Agosto do ano passado, o equipamento vai servir uma população de 3,7 milhões de habitantes.

Este era justamente o valor da despesa estatal previsto na versão final da proposta para a gestão do Centro de Reabilitação do Norte que a Santa Casa entregou à ARSN em Maio deste ano. Na proposta, a Misericórdia do Porto assumia a pretensão de atender, no CRN, “outros segmentos de clientes” que não os do Serviço Nacional de Saúde (SNS), de forma a rentabilizar a estrutura.

Para que este contrato de gestão fosse possível, sem ser necessário um concurso público, foi criada entretanto legislação específica.

Na proposta apresentada em Maio, a Santa Casa da Misericórdia do Porto propunha-se investir seis milhões de euros no equipamento necessário para abrir a estrutura, bem menos do que os 9,7 milhões de euros previstos inicialmente. A Misericórdia sugeria ainda a “libertação” do edifício central (onde era suposto funcionarem os serviços administrativos, biblioteca e salas para investigação e formação) para a “instalação de serviços/empresas do cluster da saúde, da economia azul, start-ups de tecnologia e inovação, parcerias com universidades, homecare, parcerias internacionais, etc” e receber doentes de todo o país e estrangeiro, “numa lógica de turismo de saúde”.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/misericordia-explora-centro-de-reabilitacao-do-norte-por-27-milhoes-de-euros-ate-2016-1613413

Ler 3193 vezes