Social:
terça, 22 outubro 2013 11:40

Estudantes de Medicina do Algarve iniciam greve a estágios no Hospital de Faro

Estudantes de Medicina do Algarve iniciam greve a estágios no Hospital de Faro diário digital/lusa

 

Os estudantes do Mestrado Integrado de Medicina da Universidade do Algarve estão reunidos, esta segunda-feira, em plenário e os alunos em estágio no Hospital de Faro avisaram que estão em greve em solidariedade com a direção demissionária do curso.

 

Os alunos decidiram não comparecer às atividades letivas e entrar em greve na sequência da demissão em bloco da direção do curso de Medicina, na sexta-feira, que acusa o reitor de colocar em causa a autonomia pedagógica do curso através de uma cláusula prevista no novo protocolo assinado entre a universidade (UAlg) e Hospital de Faro.

"Caso o reitor não recue, todos os médicos de família que lecionam no curso e pelo menos uma grande parte dos médicos do Hospital [de Faro] apresentarão a sua demissão em solidariedade com a posição da direção", disse hoje à Lusa Filipe Gomes, médico interno de Radiologia no Hospital de Faro e assistente convidado no Mestrado Integrado em Medicina (MIM) da UAlg.

A direção do curso de Medicina do Algarve anunciou a demissão em bloco na sexta-feira, por causa de um novo protocolo preparado devido à recente criação do Centro Hospitalar do Algarve (CHA), que junta os hospitais de Faro, Portimão e Lagos.

Segundo aquele médico, o novo protocolo compreende uma cláusula que "coloca em causa a autonomia pedagógica da direção do MIM, de forma inaceitável, e lhe retira a capacidade de garantir a qualidade do curso de Medicina ministrado na UAlg".

"O reitor elaborou-o [protocolo], ignorando todas as sugestões da direção do MIM da UAlg. De grande significado foi a opção de abrir o controlo da decisão sobre quais os docentes a lecionar no curso de Medicina na UAlg, oferecendo-o em parte ao CHA", disse Filipe Gomes.

http://www.jn.pt/PaginaInicial/Sociedade/Educacao/Interior.aspx?content_id=3488381

 

Ler 3315 vezes