Social:
quarta, 09 outubro 2013 01:10

Vergonha na infância e na adolescência afeta saúde mental

Um estudo da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra (FCEPUC) revela que as "experiências de vergonha na infância e na adolescência" afetam a saúde mental e bem-estar em adulto.

"Indivíduos, cujas experiências de vergonha na infância e na adolescência funcionam como memórias traumáticas e se tornam centrais para a sua identidade e história de vida, estão mais propensos a desenvolver psicopatologia (sofrimento psicológico e emocional) na idade adulta", afirma, numa nota hoje divulgada, a Universidade de Coimbra (UC).

Realizada ao longo dos últimos cinco anos, esta investigação -- "Memórias da vergonha que moldam quem somos" -- é a primeira, a nível internacional, sobre "a fenomenologia das experiências e memórias de vergonha (as suas componentes emocionais, cognitivas e comportamentais)", salienta a mesma nota.

O estudo explora "episódios de vergonha vividos na infância e na adolescência e em que medida passaram a funcionar como memórias traumáticas e autobiográficas, condicionando a sua identidade, comportamento e saúde mental na idade adulta", refere a UC.
"Fundamental para regular as nossas relações sociais e para a formação da nossa identidade", a vergonha "ainda é uma emoção menosprezada", mas esta investigação da FPCEUC evidencia como a "vergonha pode ser uma experiência bastante dolorosa, intensa e com um impacto nocivo" na forma como as pessoas se veem e no seu bem-estar.

"Verificámos que as experiências de vergonha, vividas na infância e na adolescência, operam como memórias traumáticas, influenciam a construção da identidade dos indivíduos (por exemplo verem-se como pessoas inferiores, desvalorizadas, falhadas, etc.) e contribuem para o surgimento de sintomas de psicopatologia, como depressão, ansiedade, stresse, ideação paranoide ou ansiedade social, na idade adulta", sublinha Marcela Matos, que desenvolveu a sua tese de doutoramento no âmbito deste projeto.

http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=3464189&seccao=Sa%C3%BAde

Ler 3112 vezes