Social:
quinta, 17 julho 2014 22:34

Google desenvolve lentes de contacto inteligentes

A gigante americana Google vai avançar com o desenvolvimento de um modelo de lentes de contacto inteligentes que permitem aos utilizadores diabéticos monitorizar os níveis de açúcar no sangue através da análise das lágrimas.

A Google, conhecida por recentemente ter lançado no mercado o Google Glass, anunciou que vai avançar com o desenvolvimento de lentes de contacto inteligentes. A empresa americana vai associar-se à Alcon, empresa farmacêutica dedicada ao ramo da oftalmologia e subsidiária da Novartis.

A nova tecnologia da Google permite monitorizar os níveis de açúcar no sangue através de pequenos sensores que analisam as lágrimas e oferecem atualizações em tempo real ao utilizador através de um dispositivo médico sem fios. É um método que pode comportar grandes vantagens para quem padeça de diabetes na medida em que é menos doloroso e invasivo que o método típico de "picar" o dedo várias vezes ao dia. Num futuro próximo estas lentes poderão mesmo servir para corrigir defeitos de visão do utilizador.

"O nosso sonho é usar a última tecnologia em miniaturização da eletrónica para ajudar a melhorar as vidas de milhões de pessoas", escreveu o co-fundador do Google Sergey Brin em comunicado, acrescentando que "a Google está muito animada por trabalhar com a Novartis para tornar este sonho em realidade.".

"Estamos ansiosos para trabalhar com a Google para combinar tecnologia avançada com os nossos conhecimentos e as necessidades médicas não atendidas dos doentes", disse Joseph Jimenez, CEO da Novartis, num comunicado à imprensa.

Não foram ainda revelados detalhes sobre a data de lançamento desta tecnologia. Elizabeth Harness Murphy, diretora de comunicações externas da Alcon, disse à revista Mashable que é ainda é "muito cedo para projetar quando as lentes inteligentes podem chegar ao mercado."

A diabetes é uma doença crónica multifatorial que se caracteriza pelo aumento dos níveis de açúcar (glicose) no sangue e pela incapacidade do organismo em transformar toda a glicose proveniente dos alimentos. Estima-se que 382 milhões de pessoas em todo o mundo padeçam da doença.

 
Ler 2750 vezes