Social:

Marta Temido “rejeita por completo” a perspectiva de que haja barreiras no acesso a medicamentos inovadores, considerando que o que pode estar em causa são “divergências entre análises técnicas e clínicas”.
O Conselho Nacional da Ordem dos Médicos diz que há clínicos que estão a ser "impedidos de proteger a vida de doentes com cancro". Há barreiras no acesso a "medicamentos potencialmente inovadores"
terça, 10 setembro 2019 05:24

De que tem medo a Ordem dos Médicos?

Que mal virá para os doentes do nosso país se, aos mais de mil médicos formados pelo Estado, com o subsídio oriundo dos nossos impostos, se juntar mais uma centena, que não pagamos, que ou virão do estrangeiro para estudar em Portugal?
Conseguiram-se manter no exterior do corpo cinco fígados durante mais de um dia a uma temperatura média de quatro graus Celsius negativos.
Os doentes a quem for recusado o acesso a medicamentos inovadores que provaram ser eficazes em fases precoces dos cancros poderão, em teoria, avançar com processos contra os peritos ou contra a autoridade do medicamento, propõe a Ordem dos Médicos.
A prescrição só pode ser levantada nas farmácias de rua.
A marca centenária Couto, célebre pela pasta dentífrica, esteve para ser vendida. Mas o casamento do administrador com uma empreendedora fez aumentar as vendas para um milhão de euros e o casal quer agora abrir uma nova fábrica em 2022.
A liberdade para escolher a saúde de cada um deveria ser um direito. Mas não é. A ministra da Saúde não deixa.