Social:

Neste Natal, só um anestesista se dispôs a estar de serviço na Maternidade Alfredo da Costa. Deveriam ser dois. Esse facto motivou toda uma polémica sobre quanto vale uma hora de trabalho destes profissionais em tempo de Festas. O intervalo parece poder variar entre os 26 e os 500 euros. (A fazer lembrar os leilões: “Quem dá mais? Quem dá mais?”)
A operação de fiscalização, que decorreu em datas não divulgadas, teve âmbito nacional "para verificação das condições de higiene e segurança alimentar dos géneros alimentícios mais apreciados pelos consumidores na época do Natal", refere a ASAE.
Até ao final de Janeiro vão dar entrada em vários tribunais administrativos acções contra centros hospitalares e administrações regionais de saúde de Norte a Sul do país. A primeira foi contra o Centro Hospitalar Lisboa Central.
A Marinha Portuguesa efetuou na sexta-feira uma operação de resgate médico de um passageiro britânico de 84 anos que se encontrava a bordo de um navio de cruzeiro a sudeste do Funchal.
A Associação Portuguesa de Hospitalização Privada exige a “anulação imediata” do processo de devolução de 38 milhões de euros à ADSE e alerta que alguns prestadores podem denunciar as convenções com o sistema.
Após a polémica da falta de anestesistas na Maternidade Alfredo da Costa durante o Natal, Assunção Cristas visitou a maternidade e responsabilizou o Governo pelos "problemas estruturais" na saúde.
Hospitais privados admitem deixar de ter convenção com a ADSE, após esta ter exigido 38 milhões de euros por excessos de faturação. Associação pede ao Governo a anulação desse processo.
Pelo menos meio milhão de portugueses ainda não tem médico de família, segundo dados do Ministério da Saúde.