Social:
quinta, 02 janeiro 2020 16:22

Coberta de nevoeiro, Índia vive pior vaga de frio dos últimos 119 anos

As temperaturas atingiram os seis graus, mais de 20 graus abaixo do normal. O intenso nevoeiro já levou ao cancelamento de voos, atrasos de comboios e acidentes nas estradas.

O Norte da Índia está a viver o mais duro inverno dos últimos 119 anos. As temperaturas atingiram esta quinta-feira os seis graus, mais de vinte graus abaixo do normal para esta altura do ano, e o frio, acompanhado de nevoeiro, é tanto que voos foram cancelados e escolas encerradas. Os indianos estão habituados a vagas de calor e raramente se confrontam com as de frio, no que já é visto como mais uma consequência das alterações climáticas.

Mais populares

  • Arquitectura

    Não fosse o medo das alturas e Lisboa (quase) podia ter sido assim

  • Entrevista com Henrique Joaquim

    “É um mito urbano a ideia de que há pessoas que querem viver na rua”

  • i-album
    Exposição

    O muro de Berlim é hoje um “fantasma” — e ela borda-o para o revelar

As temperaturas têm descido tanto que, antes do anoitecer, diz o New York Times, milhares de pessoas se dirigem a lojas de roupa e de electrodomésticos para se aquecerem. E, como consequência, os aquecedores já subiram dos dez dólares (8,9 euros) para os 19 (16,9 euros), uma vez que a maioria das casas não está construída para estas temperaturas. “Nunca vi tanta procura por roupas quentes”, admitiu Vivek Sharma, vendedor numa loja de roupa no Sul de Nova Deli, ao jornal norte-americano. “Não resta nada uma hora depois”.

Mas há quem nem tenha dinheiro suficiente ou mesmo um tecto, restando-lhes mantas distribuídas pelas autoridades e os 200 abrigos temporários da capital. “Com este frio, é impossível dormir sem um tecto”, disse Mahmohan Singh, trabalhador manual que recebe 10 dólares por dia, ao New York Times.

O frio obrigou ao encerramento de escolas e os hospitais da capital indiana viram, durante o fim-de-semana, uma afluência fora do normal de pacientes com sintomas de pneumonia, no que é visto como consequência das alterações climáticas: temperaturas muito baixas com níveis de poluição elevados.

Há dois meses que os 20 milhões de habitantes de Nova Deli vivem sob uma intensa nuvem de fumo, considerada 20 vezes superior aos níveis de poluição recomendados pela Organização Mundial de Saúde. As autoridades declararam o estado de emergência pública e os residentes são obrigados a usar máscaras, com os casos de doenças respiratórias a não pararem de aumentar.

A vaga de frio, a mais intensa desde Dezembro de 1901, é consequência da poluição extrema. “O nevoeiro denso é a principal causa do frio”, disse Rajendra Kumar Jenamani, meteorologista do centro nacional indiano, ao New York Times. Para o cientista, a humidade trazida pelas tempestades do Mediterrâneo e o vento de baixa altitude, aliados à poluição, criaram as condições perfeitas para que o nevoeiro se adensasse.

A fraca visibilidade obrigou as autoridades do estado de Uttar Pradesh, no Norte do país, a adiarem 500 voos e a cancelarem pelo menos outros 16. Os acidentes rodoviários também têm aumentado por causa da fraca visibilidade e, na semana passada, seis pessoas morreram quando um carro derrapou para fora da estrada.

FONTE - Público

Ler 590 vezes