Social:
quinta, 19 dezembro 2019 17:41

Avon anuncia fim de testes em animais em todas as suas fábricas

A marca de produtos de cosmética deixará de testar em animais em todas as suas localizações, incluindo na China, onde o método é requerido por lei. A medida já foi confirmada pela PETA e já valeu à Avon uma mudança para a lista de marcas que “estão a trabalhar para mudar”.

A Avon anunciou esta semana que deixará de testar os seus produtos em animais em todas as suas empresas. Há vários anos que a marca já tentava proibir os testes em animais nos cerca de 100 países onde comercializa os seus produtos, mas em alguns, como a China, este tipo de procedimentos eram requeridos por lei. Em comunicado, a Avon — que cita o Euromonitor International (empresa que analisa produtos e serviços em termos mundiais) — afirma que se tornou na primeira empresa global de beleza vendida na China a interromper todos os testes de ingredientes ou produtos em animais.

A marca de beleza já tinha suspendido os testes em animais há várias décadas, mas só em alguns países (como o Brasil e Portugal), mas só agora conseguiu fazê-lo de uma forma global. “Em Junho de 1989, a Avon anunciou que não iria testar produtos em animais e que também não o faria em testes realizados fora dos nossos laboratórios. Agora, demos um passo significativo para interromper imediatamente todos os testes em animais na China, algo que só foi possível através da realização de uma série de investimentos que incluem o afastamento de produtos que exigem testes, a inovação em novos produtos e a expansão para canais de distribuição alternativos”, justifica a empresa em comunicado. Ao mudar a formulação de alguns produtos, foi capaz de “fugir” aos testes obrigatórios impostos pelas leis chinesas.

Com esta mudança, a empresa passa a integrar a lista de marcas que “estão a trabalhar para mudanças de regulamento” da PETA (People for the Ethical Treatment of Animals), associação mundial de defesa dos animais conhecida por expor as marcas que testam em animais. A “vitória” da Avon (que até há bem pouco tempo estava na lista das marcas que realizavam estes procedimentos em animais) foi anunciada nas redes sociais da organização. “A Avon Products já não testa em animais em nenhum lugar do mundo e está a implementar sistemas para garantir que nenhum dos seus fornecedores o faz. Quando este processo estiver concluído, a empresa será transferida para a nossa lista de marcas cruelty-free”, escreve a associação de defesa dos animais numa nota publicada no site.

A legislação europeia sobre tudo o que diz respeito a testes em animais assenta na “Política dos 3R” — “Replacement” (substituição), “Reduction” (redução) e “Refinement” (refinamento) — foi enunciada em 1958 e diz respeito ao bem-estar dos seres usados em investigação fundamental e aplicada. O objectivo é que, antes de qualquer investigação, seja colocada a questão: é necessário utilizar animais ou há alternativas adequadas? Se a utilização de animais for necessária, o foco passa para a preocupação em reduzir o número de animais utilizados e refinar as técnicas, de forma a minimizar o stress e sofrimento infligidos.

Da lista da PETA que reúne marcas que testam em animais ainda constam grandes nomes como a Clinique, Benefit, Estée Lauder, Makeup Flrever, Maybelline, OPI ou Victoria's Secret.

Para assegurar que os seus produtos são “seguros e eficazes” para o consumidor, a Avon garante que “informação é obtida a partir de modelos computacionais, testes in vitro e testes clínicos em voluntários, assim como informação já existente”, lê-se na página portuguesa da marca. Segundo a mesma fonte, a Avon vende aproximadamente 9000 produtos em mais de 100 países e avança que “em 2011 menos de 0,3% desses milhares de produtos foram testados em animais”; o objectivo, realça, é chegar aos 0%.

FONTE - Público

Ler 459 vezes