Social:
domingo, 16 junho 2019 08:21

Dicas para usar as redes sociais de uma forma saudável, sem esquecer a vida lá fora

Conectados, as nossas possibilidades são inúmeras. Contudo, sem uma boa dose de bom senso, o bem-estar poderá ficar seriamente comprometido. Aproveita as redes sociais. Mas aproveita, principalmente, a vida.

Amante das redes sociais, ultra-conectado e cada vez mais dependente do smartphone para conectar-se à Internet. Este é o perfil do cibernauta brasileiro, que passa, em média, nove horas e 29 minutos por dia conectado – muito acima da média global de seis horas e 42 minutos. Os dados são do relatório Digital in 2019, divulgado no final de Fevereiro pela Hootsuite e pela We Are Social. À frente do Brasil está apenas as Filipinas, com 10 horas e 2 minutos. Os utilizadores portugueses, por sua vez, figuram na 19.ª posição do ranking, passando em média seis horas e 38 minutos online. É uma realidade impressionante, que traz a importância de debater as relações humanas em tempos de hiperconectividade.

Conectados, encurtamos distâncias, ganhamos tempo e fazemos amigos. Mas, sem bom senso, poderemos pagar um preço muito alto. Alguém que passa os dias relacionando-se apenas por meio de smartphones ou tablets não deixa de estar em isolamento social. Defendo o uso comedido da Internet, no geral, e das redes sociais, em específico, destacando que é ténue a linha entre ónus e benefícios.

A minha paixão pelo universo digital é enorme, mas entendo que a reflexão sobre o uso comedido dos recursos é fundamental. Nas minhas aulas e palestras abordo sempre a importância do networking e da conexão real para conquistar objectivos e evoluir na vida. Só fazemos isso com as pessoas. É muito importante criar relacionamentos sólidos. E o digital, sozinho, não constrói essa solidez.

Aqui vão algumas dicas para um uso saudável das redes sociais, sem esquecer a vida lá fora:

  1. Tudo tem a sua hora. Estipula horários para te conectares às redes sociais. Estabelece padrões mais saudáveis para utilizá-las: pela manhã, à tarde e à noite, por exemplo. Para não cair na tentação, desactiva as notificações sonoras e visuais das aplicações no telemóvel. É um passo simples que pode reduzir a ansiedade e a vontade de estar sempre a verificar as redes sociais.
  2. Monitorizar o tempo de uso. Ao fazê-lo, podes surpreender-se com o tempo que gastas em cada rede. Recentemente, o Instagram e o Facebook passaram a oferecer esta possibilidade, informando quando o usuário atinge um certo limite de tempo que o próprio estipula. Alguns smartphones também fazem isso, dando conta da utilização diária do aparelho e quais as actividades que dominaram o período.
  3. Atenção aos padrões. É preciso tentar entender o que está por trás dos acessos e perceber qual é o gatilho situacional que desperta o consumo de redes sociais. O uso intenso assemelha-se a vícios de comportamento, como compras compulsivas. Para não te entregares a exageros, é preciso compreender quando e em quais momentos sentes mais necessidade de te ligares às redes sociais.
  4. Dorme sem o smartphone. Se a vontade de dar uma olhadela nas redes é inevitável enquanto não tens sono, mais vale deixares o telemóvel noutro quarto.
  5. Atenção às pessoas. Usa o smartphone ou o tablet quando estiveres sozinho. Na presença de amigos, familiares ou colegas de trabalho, dá-lhes atenção. Se for preciso, desliga o aparelho ou deixa-o sem som.
  6. Aproveita o mundo real. Nos fins-de-semana, evita responder a e-mails ou conectar-te às redes sociais. Dá preferência a actividades offline como fazer trilhos, passear nos parques ou ir à praia
  7. Curte o momento. Se estiveres a viajar ou assistir a um espectáculo, aproveita a experiência primeiro e partilha com os teus amigos depois. Não te sinta obrigado a expor a tua vida a toda a hora.

Conectados, as nossas possibilidades são inúmeras. Contudo, sem uma boa dose de bom senso, o bem-estar poderá ficar seriamente comprometido. Aproveita as redes sociais. Mas aproveita, principalmente, a vida.

FONTE - Público

Ler 117 vezes