Social:
terça, 09 abril 2019 22:36

Nova Iorque declara estado de emergência devido a surto de sarampo

Segundo as autoridades norte-americanas, em todo o país, existem 465 casos de sarampo confirmados apenas em 2019. A maioria dos afectados são crianças não vacinadas.

A cidade de Nova Iorque está desde a manhã desta terça-feira em estado de emergência devido a um surto de sarampo que se está a espalhar especialmente entre as comunidades judaicas ortodoxas de Brooklyn, um dos cinco bairros da cidade.

Mais populares

  • Família

    Quase um terço dos jovens deixam de ver o pai depois do divórcio

  • Astrofísica

    Esta quarta-feira vamos ver um buraco negro pela primeira vez?

  • i-album
    Fotografia

    A “paixão e o esforço” das danças de Rabo de Peixe que este ano também abanam o Tremor

Os cidadãos não vacinados que vivem em quatro bairros específicos de Brooklyn serão obrigados a receber a vacina contra sarampo para reduzir o risco de contágio. Sob a ordem da vacinação obrigatória, os membros do Departamento de Saúde e Higiene Mental da cidade vão verificar os registos de vacinação de qualquer indivíduo que possa ter estado em contacto com pacientes infectados. Aqueles que não tiverem recebido a vacina ou que não apresentem evidências de imunidade poderão ter de pagar uma multa até 1000 dólares (cerca de 880 euros).

“Todas as horas e todos os dias são importantes. Se as pessoas forem simplesmente vacinadas, não há motivo para uma multa”, afirmou Bill De Blasio, o mayor de Nova Iorque, durante o anúncio do estado de emergência esta terça-feira e citado pelo The Guardian. “O nosso objectivo não é passar multas, queremos simplesmente resolver o problema”.

A cidade também ameaçou fechar as escolas religiosas judaicas se estas não cumprirem a ordem de manter as crianças não vacinadas fora das salas de aula. Até agora, foram registados 285 casos de sarampo desde que o surto começou, em Outubro passado, principalmente entre a comunidade judaica ortodoxa, e o número mais do que duplicou desde Fevereiro deste ano.

“Não podemos permitir que esta doença perigosa volte a Nova Iorque. Temos de a parar agora”, disse Blasio. Os apenas dois casos da doença em 2017 não se comparam aos 285 casos que se verificaram desde Outubro de 2018. A maioria das vítimas são crianças, sendo que 21 foram hospitalizadas e outras cinco foram internadas em terapia intensiva.

O surto começou quando uma criança não vacinada contraiu sarampo enquanto viajava para Israel, país que também luta contra um grande surto da mesma doença. Embora já tenham sido distribuídas milhares de vacinas, ainda há cerca de 1800 crianças não vacinadas no bairro de Williamsburg, em Brooklyn, e a doença continuou a espalhar-se.

A ordem obrigatória de vacinação aplica-se tanto às crianças como aos adultos que vivam nos quatro bairros nova-iorquinos sinalizados. Segundo as autoridades norte-americanas, em todo o país, existem 465 casos de sarampo confirmados em 2019.

Também o Estado de Washington foi obrigado a declarar estado de emergência por causa de um surto de sarampo no fim de Janeiro. Também naquele Estado, a larga maioria dos doentes eram crianças até aos dez anos que não estavam vacinadas contra a doença.

FONTE - Público

Ler 219 vezes