Social:
quarta, 07 novembro 2018 10:48

Bill Gates apresenta sanita futurista que não precisa de água nem de sistema de esgotos

Bill Gates apresentou uma sanita futurista que utiliza produtos químicos para transformar os dejetos humanos em fertilizante. A sua fundação investiu 200 milhões de euros nesta investigação.

Bill Gates apresentou uma sanita futurista numa exposição realizada em Pequim, na passada terça-feira. A Fundação de Melinda e Bill Gates tem vindo a desenvolver este ambicioso projeto que vem revolucionar o mercado, na medida em que a sanita apresentada não precisa de água nem de um sistema de esgoto para funcionar.

O fabrico desta sanita resultou de uma colaboração internacional entre especialistas da China dos Estados Unidos e da Tailândia, entre outros países, e utiliza produtos químicos para transformar os dejetos humanos em fertilizante.

There are few things I love talking about more than toilets. pic.twitter.com/rQdY3ZiIpC

— Bill Gates (@BillGates) November 5, 2018

O El Mundo avança que Gates afirma que, após anos de desenvolvimento desta tecnologia, o produto está pronto para ser comercializado. Refere haver vários desenhos do produto e que o processo químico utilizado na tecnologia desfaz os dejetos humanos, não sendo necessário o uso de água para escoá-los.

Durante a apresentação da sanita, Gates despejou na sanita uma jarra de vidro, que continha fezes humanas, para demonstrar a eficácia do seu novo produto, advertindo para os problemas de saúde relacionados com a falta de higiene em países subdesenvolvidos, tendo em conta que meio milhão de crianças morre anualmente por falta de condições sanitárias.

Este novo modelo, que não precisa de estar ligado a um sistema de saneamento ou de água e transforma os dejetos humanos em fertilizante, está a ser testado na cidade sul-africana de Durban, onde também estão a ser testados outros modelos, que se alimentam de energia solar, explicou Gates.

O multibilionário explicou que a rápida expansão destes novos produtos e sistemas de saneamento que não necessitam de estar conectados a nenhuma rede poderá reduzir drasticamente o número de mortos e o impacto da falta de higiene na saúde da população nos países mais pobres.

A fundação de Bill Gates e da sua mulher, Melinda Gates, gastou 200 milhões de dólares desde 2011 para promover a investigação e o desenvolvimento de tecnologia sanitária segura.

Segundo a Unicef, quase 900 milhões de pessoas não têm escolha senão fazer as suas necessidades ao ar livre. Só na Índia, estima-se que sejam 150 milhões.

A mesma fonte estima que 480.000 de crianças com idade inferior a cinco anos morrem todos anos de diarreia, muitas vezes por beberem água ou comerem comida contaminada pelos esgotos.

O Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, destacou que o saneamento é uma das prioridades para a sua organização, que se vai aliar com a Fundação Bill e Melinda Gates para levar instalações sanitárias seguras a todas as partes do mundo.

“Os sistemas que se podem difundir com rapidez e proporcionar um saneamento seguro e sustentável às comunidades são fundamentais para a qualidade de vida e desenvolvimento do capital humano”, afirmou Jim, citado no comunicado.

Junte-se ao Observador no WhatsApp

Contamos-lhe tudo sobre a Web Summit

FONTE - Observador

Ler 486 vezes