Social:
terça, 13 março 2018 18:50

Suspeita de sarampo leva Hospital de Santo António a isolar 20 profissionais de saúde

Profissional de saúde que está internado contactou, fora do hospital, com doente estrangeiro que tinha sarampo. Análises só serão conhecidas quarta-feira

O Hospital de Santo António (Porto) tem um profissional de saúde internado por suspeita de ter contraído sarampo e sinalizou mais 20 funcionários, entre médicos, enfermeiros e auxiliares, que apresentaram sintomas compatíveis com esta doença. Mas vai ser necessário aguardar pelas análises que estão a ser feitas no Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (Insa), e que serão conhecidas nesta quarta-feira, para se perceber a dimensão do problema.

O profissional de saúde que está internado terá sido infectado por um doente estrangeiro que tinha sarampo e com quem contactou fora do hospital, afirmou a assessoria da unidade de saúde, confirmando a informação avançada pelo Jornal de Notícias. Há outro profissional de saúde que “muito provavelmente” estará infectado, mas os outros 20 casos estão apenas a ser monitorizados por uma questão de precaução, sublinhou.

Foi na manhã desta terça-feira que “alguns profissionais do Hospital de Santo António, apresentaram sintomas e sinais clínicos, de início agudo, incluindo exantema (rubor) cutâneo, febrícula (apenas alguns), mialgias e cansaço", descreve a unidade de saúde em comunicado.

“Colocando-se a hipótese de trabalho de sarampo possível, foram isolados numa área reservada, interrogados e observados por médicas infecciologistas. Para já, apenas uma doente tem critérios de internamento”, acrescenta, notando que "não há notícia de casos em crianças ou adolescentes".

O hospital explica que procurou saber se haveria outros casos, incluindo entre funcionários de folga. No final, foram sinalizados “20 casos idênticos, todos em profissionais”, mas não há ainda qualquer confirmação de que se trata de sarampo, podendo ser uma outra virose, sublinha.

Ainda de acordo com o hospital, “não há nenhum doente com ligação epidemiológica conhecida com um caso confirmado de sarampo” e não é de excluir tratar-se “de uma outra virose”, uma vez que “a apresentação clínica não é tão exuberante como habitualmente, designadamente com febre, prostração tosse, manchas da bochecha interna”.

O hospital garante que “foram tomadas as medidas recomendadas para casos de sarampo” e que as autoridades locais e regionais de saúde pública e a Direcção-Geral da Saúde foram informadas.

No ano passado, houve dois surtos de sarampo em Portugal e uma jovem de 17 anos que não estava vacinada morreu.

FONTE - Público

Ler 667 vezes